Menina cria ursinho que esconde soro e acalma crianças durante medicação

Portal Raízes

Quando tinha apenas 7 anos, Ella Casano foi diagnosticada com Trombocitopenia Primária Imune (TPI), uma doença sanguínea autoimune que causa a diminuição do número das plaquetas. Por conta disso, a menina precisava receber transfusões de sangue a cada seis semanas.

O ambiente hospitalar, a quantidade de equipamentos visualmente ameaçadores e todo o processo de transfusão (a começar pela perfuração da pele) a deixavam extremamente assustada.

“Quando fiz minha primeira transfusão, fiquei surpresa e intimidada pelo visual dos tubos e bolsas”, diz a menina, que vive em Connecticut, nos Estados Unidos.

Foi aí que Ella, hoje com 12 anos, teve uma ideia aparentemente simples para tranquilizar a si mesma: cortou um ursinho de pelúcia e usou cola quente para prendê-lo ao redor da bolsa onde estava o sangue que ela receberia.

“E foi assim que ela criou o primeiro Medi Tedi”, conta sua mãe, Meg Casano, em entrevista à CNN.

Os médicos e enfermeiras adoraram a ideia da menina e perceberam que assim como o ursinho a ajudou a ficar calma, outras crianças que precisavam receber sangue, medicação ou soro intravenoso, poderiam se tranquilizar também.

Ella então fez uma pesquisa de campo e aperfeiçoou o produto. A parte de trás do ursinho de pelúcia passou a ser transparente, de modo a possibilitar que as enfermeiras acompanhem a quantidade de medicação administrada.

No último domingo (16), a garotinha criou uma campanha de financiamento coletivo, pedindo US$ 5 mil para conseguir fazer o primeiro pedido em grande escala. Em dois dias, a meta foi superada em US$ 2 mil. Agora, mais que dobrou. Ella conseguiu mais de US$ 11 mil até o momento.

A mãe de Ella entrou com um processo para transformar a empresa recém-criada em uma organização sem fins lucrativos e em breve pretende fornecer os Medi Ted’s sem custo para centenas de pacientes mirins.

Fonte: Revista Crescer, via Razões para acreditar

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.