A cantora e atriz Lisa Marie Presley, filha única de Elvis Presley com a empresária Priscilla Presley, morreu na noite desta quinta-feira, 12, aos 54 anos, após sofrer um ataque cardíaco (o rei do rock também morreu de parada cardíaca, aos 42 anos). Lisa chegou a ser atendida por médicos e levada ao hospital, mas não resistiu. 

A informação da morte foi confirmada pela mãe da cantora, Priscilla Presley. “É com coração pesado que eu devo compartilhar essa notícia devastadora que minha linda filha Lisa Marie nos deixou”, disse ela, em comunicado à imprensa.

A última vez que Lisa foi vista em público foi na terça-feira, 10, durante a cerimônia do Globo de Ouro para acompanhar o ator Austin Butler, que interpretou seu pai no filme homônimo.  

Quando Elvis morreu em 1977, ela herdou os espólios do pai juntamente com outros familiares. Pai e filha eram muito próximos e, numa extravagância, ele a levou a Idaho depois que de ela ter dito que nunca tinha visto a neve. Em homenagem a ela, Elvis batizou seu jato particular, um Convair 880, de 1958, com o nome da filha. Lisa também era dona de Graceland, a mítica casa de Elvis e possuía 15% da Elvis Presley Enterprises.  

Com três discos lançados ao longo da carreira, entre 2003 e 2012, ela conseguiu o quinto lugar da lista dos mais populares nos EUA com o primeiro, “To whom it may concern”.

Casada quatro vezes, teve relacionamentos com Michael Jackson e com Nicolas Cage. Ela teve quatro filhos. Um deles, Benjamin Keough se matou em 2020, aos 27 anos. Lisa sempre disse que sua vida, desde a infância, foi marcada pela morte e pelo luto. “O luto é algo que você terá que carregar com você pelo resto de sua vida, apesar do que certas pessoas ou nossa cultura querem que acreditemos”, disse. 

Confira um pouco sobre a vida de lisa:

 

RECOMENDAMOS






As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.