Morre aos 81 anos, Erasmo Carlos, o Tremendão. O cantor, compositor, ator e multi-instrumentista despediu-se da existência nesta terça-feira, 22/11, no Rio de Janeiro. A informação foi dada ao gshow por uma fonte ligada a família do artista e foi confirmada pela GloboNews.

Erasmo estava internado desde o dia 2 no hospital com quadro de paniculite complicada por sepse de origem cutânea, como consta o boletim médico divulgado pelo Hospital Barra D’Or. Paniculite é a inflamação da camada de gordura que fica abaixo da pele. Ela se manifesta a partir caroços sensíveis e vermelhos. Normalmente, surge em pessoas com determinadas infecções, lesões e doenças autoimunes.

A família informou em uma nota oficial que o velório do artista será fechado para os familiares e amigos. Não disseram onde acontecerá a cerimônia de despedida.

Conhecido por ser um dos pioneiros do rock brasileiro e por sua parceria com Roberto Carlos, ele deixa um grande legado para a música no Brasil. Foram 50 anos de estrada, mas de 500 canções e muitos sucessos, como “Além do Horizonte”, “É Preciso Saber Viver”, “O Bom”, que ultrapassam gerações e ficaram na memória do público.

Nascido e criado na Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro, Erasmo sempre foi apaixonado por música. A Bossa Nova e o rock’n’roll despertaram o artista que existia dento dele. Na vila onde morava, o cantor aprendeu a tocar violão com Tim Maia. Mais tarde, fez parte de um grupo que tinha Tim e Roberto Carlos, mas a banda foi desfeita após uma briga entre Tim e Roberto. Erasmo e Roberto tinham muitas coisas em comum como a paixão por Elvis Presley e torcer pelo Vasco da Gama.

Junto com Wanderléa e Roberto, Erasmo foi um dos principais representantes da Jovem Guarda, movimento musical e cultural dos anos 1960 e 1970. Relembre os maiores sucessos do artista, no vídeo abaixo:

RECOMENDAMOS






As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.