Nos últimos dias o caso do anestesista Giovanni Quintella, 32 anos, que foi preso em flagrante após filmagens mostrarem que havia abusado sexualmente de uma paciente durante cesariana no Hospital da Mulher Heloneida Studart, na Baixada Fluminense. O caso foi divulgado por vários meios de comunicação.

A violência durou 10 minutos. Enquanto abusa da gestante, o anestesista tenta se movimentar pouco para que ninguém na sala perceba. Quando termina, ele pega um lenço de papel e limpa a vítima para esconder os vestígios do crime.

“As pacientes [do anestesista Giovanni] ficavam complemente fora de si. Quando eram cuidadas por outro anestesista, jamais ficavam dessa maneira”, disse uma funcionária do centro cirúrgico.

A polícia está investigando outras possíveis vítimas do anestesista que depois da reportagem, começaram a se manifestarem. Diante dessa terrível notícia, faz-se necessário refletir sobre a importância da doula durante a gestação até o termino do parto. Entenda:

O que é uma doula e como ela ajuda as mulheres que dão à luz?

Tradicionalmente, as mulheres são apoiadas por um acompanhante durante o parto, e há boas evidências de que isso beneficia tanto a mulher quanto o bebê, além de dar proteção psicoafetiva á mulher durante todo o processo do parto, não deixando-a sozinha em momento algum.

A Organização Mundial da Saúde recomenda o apoio contínuo e proteção às mulheres durante o parto. No entanto, em todo o mundo, as iniciativas que promovem as unidades de saúde como o local mais seguro para dar à luz não respeitam necessariamente essa tradição.

Mas agora temos novas evidências sobre as formas como as mulheres são apoiadas durante o parto por uma doula ou outro acompanhante de parto.

A pesquisa descobriu que acompanhantes de trabalho de parto (incluindo doulas, parceiros e familiares) apoiam as mulheres durante o parto fornecendo informações, defendendo as necessidades da mulher e fornecendo apoio prático e emocional.

É importante ressaltar que nossa pesquisa também indica que emparelhar uma mulher com uma doula da mesma origem étnica, linguística ou religiosa que ela pode ser uma maneira importante de melhorar a equidade e fornecer cuidados culturalmente responsivos.

O que é o cuidado da doula?

A palavra “doula” vem de uma palavra grega que significa “serva da mulher”. Doulas são profissionais treinadas (não médicos) que fornecem suporte físico, emocional e informativo contínuo às mulheres antes, durante e após o parto, para facilitar a melhor experiência de parto possível.

As doulas geralmente se reúnem com uma mulher (e às vezes seu parceiro ou família) durante a gravidez para ajudá-la a se preparar para o parto, construir relacionamento, gerenciar expectativas e fornecer recursos baseados em evidências.

Quando uma mulher entra em trabalho de parto, ela alerta sua doula. A doula apoia a mulher durante todo o trabalho de parto e parto. Isso geralmente ocorre em uma clínica de parto ou hospital (algumas doulas também podem atender partos domiciliares).

Quatro maneiras de apoiar as mulheres durante o trabalho de parto

Uma revisão Cochrane , publicada esta semana, reúne dados de 51 estudos em 22 países que analisam o apoio fornecido por acompanhantes de trabalho de parto, incluindo doulas.

  • Primeiro: descobrimos que, ao fornecer informações, os acompanhantes de trabalho preenchem as lacunas de comunicação entre os profissionais de saúde, como médicos e parteiras, e a mulher. Eles a mantêm informada sobre o processo de parto e seu progresso durante o trabalho de parto. Eles também podem fornecer dicas sobre como usar efetivamente o alívio da dor não farmacológico, como meditação ou relaxamento.
  • Segundo: os companheiros de trabalho defendem a mulher, defendendo-a e suas preferências.
  • Terceiro: os acompanhantes de parto fornecem apoio prático, que pode incluir encorajar a mulher a se movimentar, fazer massagem e segurar sua mão.
  • Quarto: os acompanhantes de parto oferecem apoio emocional, ajudando a mulher a sentir-se no controle e confiante, elogiando-a e tranquilizando-a e proporcionando uma presença física contínua.

Como é o trabalho de uma doula no Brasil

Segundo a Agência senado, o Plenário aprovou, na quarta-feira (16/03/2022) o Projeto de Lei 3.946/2021, que traz as regras e requisitos para o exercício da profissão. O texto segue agora para a análise da Câmara dos Deputados. O projeto assegura a presença da doula nas maternidades, casas de parto e em outros estabelecimentos da rede pública ou privada, desde que solicitada pela grávida, durante o período de trabalho de parto, inclusive em caso de intercorrências e de aborto legal. É proibida a cobrança de qualquer taxa adicional pela presença da doula durante o período de trabalho de parto.

A senadora Eliziane Gama acatou sugestão da Federação Nacional de Doulas do Brasil para deixar claro que a presença desse tipo de profissional é assegurada em qualquer tipo de parto e para incluir as doulas nas equipes de atenção básica à saúde. Para exercer a profissão, é preciso ter diploma de ensino médio oficial e qualificação profissional específica em doulagem. A relatora acrescentou ao texto a exigência de que os cursos tenham pelo menos 120 horas de duração.

Enquanto o Projeto de Lei percorra o trajeto burocrático até que chegue a ser um direito oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), é possível contratar uma doula que oferece assistência particular. Clique aqui para encontrar uma doula em sua cidade.

RECOMENDAMOS






As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.