Olivia Newton-John fala sobre sua luta há 28 anos contra o câncer:”É melhor saber logo”

Portal Raízes

A atriz e cantora Olivia Newton-John, que luta contra o câncer de mama há 28 anos, fez um apelo para que as mulheres façam exames recorrentes, pedindo para aquelas que estão preocupadas em terem a doença irem ao médico, pois o diagnóstico precoce é fundamental.

“Eu sei que é assustador ir ao médico, mas é melhor saber do que não saber. É importante fazer um autoexame por mês para perceber alguma mudança ou caroços. A detecção precoce é sempre melhor. Não tenha medo. Eu luto contra o câncer há 28 anos – por favor, faça um exame médico”, destacou a atriz de 71 anos em entrevista ao jornal The Sun.

Olivia falou sobre sua luta de quase três décadas contra a doença – hoje, ela é diagnosticada com câncer de mama em estágio quatro e a doença se espalhou por seus ossos: “Meu foco e propósito é continuar a encontrar respostas para o tratamento do câncer e ajudar outras pessoas que estão nessa jornada”, explicou a estrela de ‘Grease’ (1978).

Durante a entrevista, Olivia ainda classificou a doença como um “presente” em sua vida. “Por mais estranho que possa parecer, considero isso um presente. Eu aprendi muito e conheci algumas mulheres extraordinárias”.

Instituições de caridade, incluindo CoppaFeel e Breast Cancer Now, e o secretário de saúde Matt Hancock, alertaram que milhares de mulheres demoraram a ver seu médico de família durante a pandemia. As mortes evitáveis ​​neste ano por todas as formas de câncer podem chegar a 35.000. Houve apenas 7.130 encaminhamentos urgentes de câncer de mama durante abril e maio, em comparação com 32.555 nos mesmos meses do ano passado.

Olivia disse: “Eu incentivo o autoexame primeiro, já que minha mamografia original em 1992 não mostrou nada e minha mão mostrou – apenas com ultrassom ela foi descoberta. Então eu digo às mulheres, confiem em seus instintos. Acho que sabemos quando algo está errado”.

Olivia, quatro vezes vencedora do Grammy, vendeu 100 milhões de discos em uma carreira de mais de 50 anos, presta serviços voluntário à pesquisa sobre câncer e entretenimento. Desde o diagnóstico de câncer de mama, ela dividiu seu tempo entre a música e a conscientização global sobre o câncer.

No centro de pesquisa que leva seu nome, em Melbourne, os especialistas esperam “superar” o câncer. Olivia disse: “Se eu não tivesse passado por isso, nunca teria emprestado meu nome a um centro de câncer, o Centro de Pesquisa e Bem-Estar do Câncer Olivia Newton-John”.

Olivia encontrou o caroço em seu seio quando tinha 42 anos. Ela fez seis meses de tratamento, incluindo mastectomia parcial e quimioterapia. A doença voltou em 2013 e ela fez novo tratamento com terapia hormonal, depois voltou a entrar em remissão. No entanto, quando voltou pela terceira vez, os médicos disseram que seu câncer de mama estava no estágio quatro – a categoria mais alta – e se espalhou para seus ossos e causou fraturas.

Atualmente ela tem feito o tratamento alternativo com cannabis medicinal, o que tem aliviado suas dores e ajudado na recuperação da mobilidade:

“Ao longo de um período de sete meses, a mobilidade é praticamente toda. Ela está de pé, ela está andando, ela desce e alimenta os cavalos, caminha ao redor do rancho, dirige, visita seus amigos”. Disse o John.

Olivia finaliza instigando mulheres e homens a fazerem o check-out: “Sou uma sobrevivente do câncer de mama há 28 anos, mas me sinto ótima. Estou indo muito bem. A detecção precoce é fundamental. Por favor, fiquem seguros”.

__

Se você gostou do texto, curta, compartilhe com os amigos e não se esqueça de comentar, isso nos ajuda a continuar trazendo conteúdos incríveis para você. Siga-nos também no Instagram e Youtube.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.