Ônibus sequestrado na Ponte Rio-Niterói

Passageiros são feitos reféns durante sequestro a ônibus na Ponte Rio-Niterói

Portal Raízes

Passageiros que estão em um ônibus da viação Galo Branco/ linha 2520 (Alcântara x Estácio) estão como reféns por um homem armado, desde o fim da madrugada desta terça-feira, na Ponte Rio-Niterói. O veículo está parado na altura do Vão Central no sentido Rio da via expressa, desde por volta das 5h30. As negociações com o sequestrador são feita pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope)

De acordo com a porta-voz da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Sheila Sena, a arma usada pelo sequestrador é um revólver calibre 38. Ele também está com uma faca, uma arma de choque e gasolina. Em um dos momentos do sequestro foi possível ver ele abrindo a porta do ônibus e jogando um material inflamável em direção a agentes que estão na região.
“A principio, ele se diz policial militar e ainda estamos em negociação para poder liberar mais reféns porque não sabemos ainda qual o real propósito dele nessa questão”, disse a porta-voz da PRF, em entrevista à TV Globo. “Foi algo premeditado. Ou seja, ele tinha instrumentos para fazer coquetel molotov, para imobilizar as vítimas”, informou o porta-voz da PM, o coronel Mauro Fliess informou.

Segundo informações da TV Globo, às 09:19, durante a programação do Mais Você, a porta-voz da Polícia, informou que o sequestrador foi abatido e os passageiros já estão salvos.

Notícia publicada originalmente no iG – Atualizada pelo Portal Raízes com pesquisas em outras fontes. Manteremos as atualizações ao longo do dia.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão.As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores.A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.