Quando você pede desculpa para uma criança, você lhe ensina 5 coisas

Clara Dawn

Em clínica ouvimos muitos relatos de pais que afirmar pedir desculpas para seus filhos pequenos sempre que precisa corrigi-los com ‘certa dureza’: um grito, um palavrão, uma atirada de objetos, uma chinelada, ou até mesmo uma ‘surra daquelas’. “A criança só para de teimar depois que apanha” – dizem, e completam – “mas passa um pouquinho e já está teimando de novo. Por isso perco a cabeça e quando vejo, já agredi. Depois fico com remorso e peço desculpas, e passo a adular, fazer promessas ou ameças”. 

Esse tipo de pedido de desculpas só ensina à criança que todas as vezes que você reage negativamente ao comportamento dela, você está errado e o seu erro – e não o dela – poderá ser barganhado facilmente. Então ela aprende a manipular a situação a seu favor, para – mesmo que sofra consequências – possa se beneficiar de alguma maneira. A criança descobre que você não é digno de respeito, que é fraco e não tem autorregulação de suas emoções, e ela passará a seguir o seu modelo de comportamento social com outras crianças e todos os ambientes que frequentar.

Criança surrada pode desenvolver transtornos mentais

Acima de tudo, é preciso praticar a pedagogia do amor. Se você achar que a pedagogia do educar com firmeza e amor, é uma bobagem, então invista na truculência. Ora, este comportamento de ‘educar’ por intermédio de gritos, palavrões, agressões, está muito errado. E não adianta pedir desculpas, se vai repetir a mesma coisa daqui a pouco. Crianças que convivem com adultos raivosos, iracundos, irritadiços, agressivos, tendem a desenvolver comportamentos semelhantes ou desencadearem transtornos mentais graves que lhes acompanharão por toda a sua vida adulta.

O estudo, publicado no Journal of Family Psychology, analisa cinco décadas de pesquisa envolvendo mais de 160.000 crianças. Os pesquisadores afirmam que a surra aumenta a probabilidade de uma ampla variedade de resultados indesejáveis ​​para as crianças. Apanhar, assim, faz o oposto do que os pais geralmente querem que ele faça. Os pesquisadores testaram alguns efeitos a longo prazo entre adultos que foram espancados quando crianças. Quanto mais eles foram espancados, mais exibiam comportamento antissocial e experimentavam problemas de saúde mental. Eles também eram mais propensos a apoiar a punição física de seus próprios filhos, o que destaca uma das principais maneiras pelas quais as atitudes em relação ao castigo físico são passadas de geração para geração.

Reconhecer que está errado e pedir desculpas honestas instaura na criança boa saúde mental e emocional

Como estabelecer um espaço familiar-moral-democrático onde as regras são valorizadas? Pais demasiado autoritários e inflexíveis ou excessivamente tolerantes e liberais podem potenciar o desenvolvimento de problemas comportamentais nos filhos. De um modo geral, crianças com regras muito rígidas ou demasiado permissivas terão muitas dificuldades em obedecer a instruções, em aceitar críticas, em tomar decisões e em se preocupar com as consequências dos seus atos. Serão crianças com baixa auto-estima, o que afetará a sua educação integral: moral, emocional, psicossocial, cognitiva, e psicomotores.

Não obrigue a criança a cumprir as regras, convide-a para ajudar na criação delas. Nunca castigue o seu filho por descumprir regras preestabelecidas. Os atos de rebeldia da crianças, são portas muito interessantes para a abertura de preciosos diálogos para construção do autoconhecimento e da personalidade do indivíduo.

Uma das metas dos pais,  é criar – em casa – um sentido democrático de comunidade, no qual o respeito mútuo seja praticado. Onde as crianças respeitam os pais; onde os pais respeitam as crianças, e as crianças respeitam umas às outras. A atmosfera de respeito é necessária para promover o desenvolvimento de autorregulação e dos sentimentos autoconstruídos, da criança.

A importância de pedir perdão para a criança

Ensinar os filhos a perdoar é essencial na criação para que eles se tornem adultos felizes e responsáveis. Pedir perdão e perdoar é um dos segredos para alcançar a felicidade e encontrar a paz interior. Também é a combinação perfeita para alcançar relacionamentos duradouros, seja na família, nas amizades e até nos negócios.

O perdão é considerado um dos valores mais apreciados pelo ser humano. É essencial ensinar às crianças que o perdão pode ajudar todas as partes envolvidas. O ofensor é libertado da culpa que sente e a vítima se desprende do ressentimento causado pelo acúmulo de ódio.

Quando devo pedir perdão á criança?

Ao pedir perdão a uma criança, você deve lhe explicar suas razões e nunca se esqueça de enfatizar que está pedindo perdão porque a respeita e confia muito nela, sabe que ela também lhe respeita e confia em você. Você deve pedir perdão a criança nesses momentos:

  • Quando fizer uma promessa e não cumprir
  • Quando mentir para ela. Reconheça.
  • Quando fizer comparações dela com outras crianças
  • Quando não respeitar os sentimentos dela
  • Quando não prestar atenção nos silêncios dela
  • Quando esquecer de algo que é importante para ela
  • Quando gritar com ela
  • Quando ela lhe pegar numa contradição daquelas ‘faça o que eu falo, mas não o que eu faço
  • Quando praticar bullying com ela. Sim, os pais praticam bullying com filhos. (Leia mais sobre isso aqui)

Quando você pede desculpa para uma criança, você lhe ensina estas 5 coisas

Os pais empáticos recolhem as armas do pensamento. São lentos para condenar seus filhos e rápidos para compreendê-los. São inteligentes, têm a consciência das várias distorções pelo estado emocional, psicológico e comportamental do seu filho. Como propulsores da maturidade, eles sabem que a verdade é um fim inatingível, mas o diálogo e a benevolência são ‘palpáveis’.

Se 10% dos humanos fossem simultaneamente simpáticos, carismáticos e empáticos, a humanidade seria outra. Teríamos mais museus e menos prisões, mais jardins e menos fábricas de armas, mais longevidade e menos homicídios e suicídios, mais abraços e menos acusações.

Deixe os seus filhos cometerem erros e acertos antes de fazer um juízo sobre o seu comportamento e personalidade que condicione terceiros na sua forma de se relacionar com eles. Não podemos nos transformar em simples espectadores, mas acima de tudo, não podemos continuar com as nossas atitudes de falta de empatia com nossos filhos

Quando você pede desculpas honestas para criança e realmente tem intenção de não cometer os mesmos erros, você lhe ensina:

  • Que todos erram, mas reconhecer os erros é um gesto de respeito e amor para com o outro
  • A não guardar rancor, pois rancor pode afetar nossas vidas para sempre
  • Que ao reconhecer o erro você praticou a empatia, você se colocou no lugar do outro, e ao se colocar no lugar do outro, você pode sentir o que o outro sentiu
  • Que a gente pode aprender muito com erros. Os erros nos ensinam que a vida é uma escola e que todos os dias podemos ser melhores. E esta é uma lição que nunca termina.
  • Que ao reconhecer os seus erros, vocês conquistaram um momento muito valoroso de diálogo, uma oportunidade de verbalizarem seus sentimentos. Ao verbalizar os sentimentos, feridas são expostas para logo em seguida serem saradas. E esta é uma lição muito preciosa, pois a capacidade de verbalizar sentimentos, é prova indelével de boa saúde mental, emocional e consequentemente, física.

Este texto é de autoria da escritora, psicopedagoga e psicanalista Clara Dawn – Exclusivo para o Portal Raízes. É proibida a reprodução parcial, ou total, sem a nossa prévia autorização.(Lei Nº 9.610 de 19 de fevereiro de 1998).

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Clara Dawn
Clara Dawn é romancista, psicopedagoga, psicanalista, pesquisadora e palestrante com o tema: "A mente na infância e adolescência numa perspectiva preventiva aos transtornos mentais e ao suicídio na adolescência". É autora de 7 livros publicados, dentre eles, o romance "O Cortador de Hóstias", obra que tem como tema principal a pedofilia. Clara Dawn inclina sua narrativa à temas de relevância social. O racismo, a discriminação, a pedofilia, os conflitos existenciais e os emocionais estão sempre enlaçados em sua peculiar verve poética. Você encontra textos de Clara Dawn em claradawn.com; portalraizes.com Seus livros não são vendidos em livrarias. Pedidos pelo email: escritoraclaradawn@gmail.com