Tolstói: aquele que inspirou Mahtma Ghandhi a ‘libertar’ a Índia com base na não-violência.

León Tostói nasceu na Rússia em nove de setembro de 1828. É considerado um dos grandes mestres da literatura russa de todos os tempos. Suas obras mais famosas são Guerra e Paz, sobre as campanhas de Napoleão na Rússia, e Anna Karenina, onde denuncia o ambiente hipócrita da época e realiza um dos retratos femininos mais profundos e sugestivos da Literatura mundial.

Embora extremamente bem sucedido como escritor e famoso mundialmente, Tolstoi atormentava-se com questões sobre o sentido da vida e, após desistir de encontrar respostas na filosofia, na teologia e na ciência, deixou-se guiar pelo exemplo da vida simples dos camponeses, a qual ele considerou ideal. A partir daí, teve início o período que ele chamou de sua “conversão“.

Seguindo ao pé da letra a sua interpretação dos ensinamentos cristãos, Tolstoi encontrou o que procurava, cristalizando-se então os princípios que norteariam sua vida a partir daquele momento: Recusou a autoridade de qualquer governo organizado e de qualquer igreja; Criticou o direito à propriedade privada e os tribunais; Pregou o conceito de não-violência; Criticava abertamente a sociedade e o intelectualismo estéril; Deixou de beber e fumar. Tornou-se vegetariano e passou a vestir-se como camponês.

Baseado nas ideias de Tolstói, Mahatma Ghandhi se inspirou para libertar a Índia com base na não-violência.

Aos 82 anos de idade, cada vez mais atormentado pelas contradições entre a sua conduta moral e a riqueza da sua família, Tolstoi decide, enfim, fugir de casa e abandonar a família para largar aquela vida na qual ele não mais acreditava. Levou uma vida simples e feliz sem riqueza até que três dias mais tarde, seu estado de saúde se agravou em decorrência de uma pneumonia. Morreu no dia 20 de novembro de 1910, em uma estação ferroviária

Frases de Leon Tolstói:

“Aquele que conheceu apenas a sua mulher, e a amou, sabe mais de mulheres do que aquele que conheceu mil”. Leon Tolstói

“Os homens distinguem-se entre si também neste caso: alguns primeiro pensam, depois falam e, em seguida, agem; outros, ao contrário, primeiro falam, depois agem e, por fim, pensam”. Leon Tolstói

“Não é possível ser bom pela metade”. Leon Tolstói

“O mal não pode vencer o mal. Só o bem pode fazê-lo”. Leon Tolstói

A mulher é uma substância tal, que, por mais que a estudes, sempre encontrarás nela alguma coisa totalmente nova”. Leon Tolstói

“O homem não tem poder sobre nada enquanto tem medo da morte. E quem não tem medo da morte possui tudo”. Leon Tolstói

O dinheiro representa uma nova forma de escravidão impessoal, em lugar da antiga escravidão pessoal”. Leon Tolstói

“A alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira”. Leon Tolstói

“Todos pensam em mudar a humanidade e ninguém pensa em mudar a si mesmo”. Leon Tolstói

“Não há grandeza quando não há simplicidade”. Leon Tolstói.

Extraído de: “Leon Tolstoi – A biografia – de Rosamund Bartlett”

TEXTO DETales Luciano Duarte
FONTEReleituras
COMPARTILHAR
Portal Raízes
Raízes Jornalismo Cultural - Portal, Revista Impressa e Programa de Televisão




COMENTÁRIOS