Esta foto é sua? Por favor, entre em contato.

14 sintomas da depressão em adolescentes e como ajudá-los a passar por essa fase

Thalitha Miranda

Uma das coisas que pode tornar a depressão tão difícil de identificar é que os sintomas podem ser coisas que todos nós sofremos de tempos em tempos – tristeza, desesperança, letargia, indisposição. Quando essas experiências humanas muito normais acontecem em uma combinação, duração ou intensidade que começam a interferir na vida cotidiana (escola, relacionamentos), é possível que o adolescente esteja se deprimindo.

Durante a adolescência, as taxas de depressão disparam. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a depressão é a principal causa de doenças em adolescentes. E tem mais: a pesquisa mostra que em metade dos adultos que têm problemas com sua saúde mental, seus sintomas apareceram antes dos 14 anos, três quartos tinham sintomas aos 24 anos. Isto coloca holofotes sobre a importância de perceber se os nossos adolescentes estão lutando contra a depressão e certificar-nos  de que eles recebem o apoio que precisam. Quanto antes identificarmos os sintomas, mais rápido impediremos que esses sintomas  avancem para algo maior e mais difícil de mudar.

Quais são os sintomas da depressão na adolescência?

Para um diagnóstico de depressão, um grupo particular de sintomas precisa ter estado lá pelo menos por duas semanas. Estes sintomas devem incluir pelo menos humor deprimido, ou uma perda de interesse ou prazer em coisas que antes eram agradáveis. Muitas vezes estes serão apenas uma parte normal da adolescência e nada a se preocupar, mas se a depressão está acontecendo, haverá outros sinais reveladores. Aqui estão alguns sintomas para prestar atenção:

1. Felicidade, raiva, indiferença – as várias faces da depressão

Depressão nem sempre se parece com tristeza ou isolamento. Alguns dos disfarces clássicos da depressão são:

• Raiva ou irritabilidade

Depressão muitas vezes vem com letargia, dor e/ou desesperança. Compreensivelmente, isso pode tornar as pessoas mais irritadas, mais irritáveis ou mais impacientes do que o habitual.

• Feliz, mas relutante em passar tempo com amigos ou família

É preciso uma enorme quantidade de força para aguentar passar o dia quando se tem depressão. Se seu filho tem depressão ele pode usar toda sua força para colocar em um sorriso no rosto e parecer feliz, mas se há depressão é provável que sua ausência seja cada vez maior. É muito normal que os adolescentes se ausentem das atividades da família – é típico dessa fase da vida, como parte de seu crescimento e independência. A coisa a prestar atenção é se ele passa mais tempo sozinho do que com amigos.

• Indiferença

A depressão não apenas rouba sentimentos felizes, às vezes, pode roubar todos os sentimentos, o que pode fazer as pessoas parecem planas ou indiferentes. Nos adolescentes, pode ser difícil dizer se a sua indiferença é apenas uma parte normal da adolescência ou se é algo mais. Não é de todo incomum para os adolescentes parecerem mais indiferentes e há uma boa razão para isso. A dopamina é o produto químico que cria o bem-estar quando obtemos algo que queremos, e nos adolescentes os níveis basais no cérebro são mais baixos do que nos adultos ou crianças, criando uma sensação de planicidade. Há um jeito de diferenciar a adolescência normal da com depressão. Fique de olho no que acontece quando o adolescente faz algo que faz bem ou quando ele consegue algo que ele quer. Quando os adolescentes fazem algo que se sente bem, os níveis de dopamina são mais altos do que nos adultos, então a sensação de bem estar é melhor ainda. Na depressão, isso não acontece. Há uma sensação constante de que nada faz a diferença, e a planicidade ou indiferença não muda mesmo quando eles estão fazendo algo que eles normalmente teriam desfrutado.

3. Deixando para trás pessoas e atividade que gostavam

A depressão tira o sentimento de prazer de coisas que antes eram agradáveis. Cuidado com o seu adolescente cancelando planos ou inventando desculpas para evitar as coisas que um dia não teria perdido.

4. Cansaço, letargia, exaustão

A depressão é exaustiva e pode tornar as pessoas mais cansadas do que o habitual, mesmo que parecem passar mais tempo dormindo.

5. A depressão machuca, literalmente

A depressão é uma doença física, por isso às vezes os sintomas aparecerão fisicamente. Cuidado com dores de cabeça inexplicáveis e enxaqueca, dores de estômago, dor nas costas e dores nas articulações. O humor e a dor compartilham os mesmos caminhos no cérebro e são regulados pelos mesmos produtos químicos do cérebro (serotonina e norepinefrina). Quando esses neuroquímicos estão desequilibrados, a dor e o humor podem ser afetados.

6. Desistência de coisas que são importantes

A desesperança, desamparo e baixa auto-estima que vêm com depressão podem fazer adolescentes  desistir da escola, amizades ou outras coisas que são importantes para eles.

7. Mudança nos movimentos físicos e na fala

A depressão pode acelerar o movimento (inquietação, agitação, estimulação, com pernas agitadas ou mãos se apertando), ou então pode retardar o movimento e a fala.

8. Pensamento difuso, dificuldade de concentração e lembrança

Além de drenar a energia física e emocional, a depressão também pode dar um golpe na energia mental. Adolescentes com depressão podem ter dificuldade em se concentrar, lembrar ou tomar decisões. Pensamento lento pode significar que eles levam mais tempo para coletar seus pensamentos, o que pode mostrar-se como discurso retardado.

9. Isolação

Não há nada de errado em querer algum tempo sozinho, mas quando há uma retirada notável, pode ser um problema. Isso pode ser porque estar com as pessoas já não traz alegria (porque nada traz alegria), ou porque os fadiga, ou porque ter que colocar um rosto feliz quando não há ‘felicidade’ para segurá-lo parece muito difícil. Depressão também tem uma maneira de convencer até mesmo a mais forte das mentes que eles são um fardo para aqueles ao seu redor e que eles são melhores mantendo-se a si mesmos.

10. Mudança nos hábitos do sono

Cerca de 40% dos adultos jovens com depressão têm hipersonia, que é o sono excessivo. Depressão pode fazer com que as pessoas durmam demais, ou acordem mais cedo do que o habitual e tenham problemas para voltar a dormir.

11. Mudança nos hábitos alimentares

Depressão pode criar um vazio que parece insuportável, e as pessoas podem começar a comer para tentar preencher o vazio. Os hábitos alimentares também podem mudar na outra direção, com as pessoas comendo menos.

12. Mudança nas notas

Depressão traz pensamento difusos, baixa energia e dificuldade de concentração. Tudo isso pode dificultar o estudo, a escuta e o aprendizado. A pista que isso está acontecendo será uma mudança na sala de aula.

13. Tomando mais, usando mais, fazendo mais

A depressão é mais do que tristeza. É uma incapacidade de sentir alegria. Isso é confuso e assustador para qualquer um sentir, e como uma maneira de encontrar alívio com isso, ou para se distrair de sua dor, os adolescentes podem recorrer a todos os tipos de comportamentos arriscados ou viciantes. Eles podem ser levados a fazer mais do que os fez se sentir bem antes, ou qualquer coisa que os ajudem a sentir algo. Isso pode ser beber, se drogar, jogar excessivamente, comer excessivamente ou se auto-mutilar.

14. Auto ferimento

Quando a dor emocional parece muito grande ou quando ela pára de fazer sentido, auto-prejudicar pode ser uma maneira de encontrar um curto, mas necessário, alívio do peso que vem com a depressão. Adolescentes não fazem isso para manipular ou para controlar as pessoas ao seu redor – eles desejam que eles pudessem parar também. Eles fazem isso para fazer a dor desaparecer.

Se você suspeita que seu filho está deprimido…

A depressão é uma besta tão persuasiva, e pode convencer qualquer um que esteja preso nela de que nada fará diferença. Esta desesperança é um sintoma clássico de depressão, e a própria coisa que pode curar. Se você suspeitar que seu filho pode ter depressão, o primeiro passo é obter um diagnóstico para que todos saibam com o que estão lidando. A depressão nem sempre precisa de medicação, mas pode precisar. Ter o apoio de um adulto amoroso será importante para qualquer adolescente que está tentando encontrar seu caminho através da depressão. Se esse adulto de apoio e amor é você, aqui estão algumas coisas que você pode fazer para ajudar seu filho adolescente a se fortalecer e curar:

1. Ajude-os a encontrar maneiras de se conectar com outros adolescentes

Amizades saudáveis ​​podem ser conforto e proteção contra os tempos confusos que podem vir com a adolescência. O problema pode ser encontrar estes amigos. A escola não é a única fonte de amizade. Na verdade, às vezes, as amizades escolares podem ser uma enorme fonte de tristeza, medo e mágoa. Se o seu adolescente está lutando com amizades na escola, é fácil para eles serem atraídos para acreditar que será assim em todos os lugares, mas não vai. Explique que a escola vem com pressões diferentes e problemas diferentes que não serão encontrados em outros ambientes. Haverá pessoas lá fora que gostariam de conhecer o seu filho. Incentive seu filho a tentar atividades ou participar de grupos para expor-se a pessoas que compartilham uma visão mais semelhante do mundo do que as pessoas na escola. Algumas maneiras de fazer isso são através de esporte, teatro, música, empregos a tempo parcial, aulas de arte, aulas de culinária. Isso pode não ser fácil – depressão drena energia para tudo. Diga ao seu filho que não é necessariamente sobre a atividade, mas sobre a expansão de sua oportunidade de encontrar as pessoas que vão adorar estar com eles – e com certeza essas pessoas estão lá fora.

2. Meditação e exercício

Pesquisas recentes descobriram que a depressão pode ser reduzida em até 40% em duas semanas através de uma combinação de trinta minutos de meditação consciente e trinta minutos de exercício (esteira ou bicicleta estática), duas vezes por semana. Incentive seu filho a tentar qualquer coisa que faça seu coração bombear. Se ele está deprimido, ele pode não estar empolgado com a oportunidade de exercitar, é parte do que a depressão faz, então você pode precisar ser um pouco criativo – deixe uma de suas tarefas ser levar o cão para uma caminhada, levar um irmão para o parque para jogar bola, ou caminhar com você à noite para te fazer companhia. Também existe a meditação que é uma maneira fácil e sem aborrecimentos para começar a preencher a mente dele, e tem sido comprovada por uma montanha de pesquisas, ser útil com a depressão.

3. Mantenha real

Se mostre contra as ideias ridículas de como eles “devem” se parecer, ajudando-os a desenvolver uma ideia saudável do que significa “beleza”. O conceito de beleza não é o problema, a definição é. Nossos adolescentes lidam com versões irrealistas e muito estreitas do que significa ”corpo bonito”. Ajudá-los a expandir isso, e nutrir uma imagem corporal saudável, apontando as muitas versões diferentes do corpo bonito que você vê, é importante para meninos e  meninas adolescentes.

4. Quando se sentem ouvidos eles se sentem cuidados

Os adolescentes, principalmente as meninas, se conectarão ouvindo com carinho. Eles podem nem sempre ouvir você, e isso é bom, mas se eles se sentem como se você não está os ouvindo, eles podem se sentir como se você não se importasse. É fácil descartar suas preocupações ou mudanças de humor como parte dos altos e baixos normais da adolescência – e isso pode ser absolutamente normal – mas ainda é importante que eles saibam que você os ouve, que os nota e que está lá para eles.

5. Reduza o tempo de jogos – deixe-os jogar com os amigos

Uma pesquisa descobriu que os adolescentes que gastam mais de quatro horas por dia em jogos podem ser vulneráveis ​​à depressão, mas há uma maneira de transformar esse risco em solução – deixando-os jogar com os amigos. Os meninos que passam o tempo jogando com os amigos, ou aqueles que estão ligados a amigos on-line ou na vida real parecem estar protegidos contra os efeitos depressivos de jogos pesados. Meninas que passam muito tempo jogando e que são socialmente ativas on-line são menos solitárias e menos socialmente ansiosas, mas elas também mostram menor auto-estima. A razão por trás do jogo do adolescente é importante, os pesquisadores sugerem que, se parece ser uma tentativa de alívio da solidão ou para lidar com o mundo, pode ser hora de intervir para reduzir o tempo gasto no console. Caso contrário, se é uma forma de socializar ou para se conectar com os outros, seja pessoalmente ou online em jogos interativos, há menos probabilidade de ser uma necessidade de preocupação.

6. Todos os dias diga algo positivo, e encontre algo positivo em tudo

Mesmo quando adolescentes bagunçam há ouro lá em algum lugar, mas eles/você podem ter que trabalhar duro para encontrá-lo. Seja a maneira que eles vêm a você para um conselho, seja a maneira que aprendem de sua experiência, ou que não escolheram uma escolha má – haverá algo. Tente dizer algo positivo todos os dias, mesmo que eles não parecem se importar. A depressão dá aos adolescentes muitas razões para sentir ‘menos do que’, por isso é importante protegê-los empurrando de volta contra ele sempre que puder.

7. Esteja disponível, mas não intrusivo

Como pequenas pessoas, as crianças recorrem a seus pais para conforto e proteção quando raspam contra as bordas duras do mundo. Como adolescentes, porém, eles são impulsionados pelo objetivo de desenvolvimento muito importante de separar dos pais e da família. Muitas vezes pode haver pressão (de dentro de si ou de fora), para lidar com as coisas por conta própria, ou pelo menos sem seus pais. Isso pode ser difícil para todos. Encontrar o equilíbrio entre mantê-los próximos e respeitar sua necessidade de autonomia e independência não é fácil, mas é muito importante. Deixe seu filho saber que pode conversar com você sobre qualquer coisa. Quando o fizer, ouça e absorva o que eles disser, mesmo que seja chocante. Quanto mais ele pude sentir você como uma presença forte e constante através de sua agitação, mais eles vão confiar que você pode estar lá para eles, mesmo quando as coisas estão confusas.

8. Todos os seus sentimentos são válidos

Sentimentos que não são sentidos ou expressados causam quebra. Todos os sentimentos são válidos e está tudo bem que os sintam. Nunca são sentimentos que causam problemas, é a maneira como eles são tratados – ou não tratados. Quando os sentimentos são empurrados para baixo ou ignorados, eles vão brotar pequenas raízes e eles vão crescer. Se os adolescentes não se sentem seguros o suficiente para sentir qualquer coisa que eles estão sentindo – irritado, confuso, com medo, culpado, ciumento – o risco é que eles cortem um sentimento, em seguida, outro e outro. Quando se afastam dos maus sentimentos, torna-se mais fácil cortar-se também dos bons.

9. Esteja disponível nos termos dele

Depressão pode ser implacável, convencendo as pessoas que não são dignos de amor ou digno da luta. Seu filho adolescente pode desejar companhia e alguém para conversar, mas ao mesmo tempo afastar todos. Qualquer coisa que você puder fazer para deixá-lo saber que você está lá para ele em seus termos será importante. Algumas maneiras de fazer isso suavemente são sentar com ele e assistir o que ele estiver assistindo na tv, ou aparecendo em seu quarto pouco antes de dormir – é muitas vezes um momento em que eles estão se sentindo seguros e empacotados longe do mundo, e quando eles poderiam lhe dar uma pequena janela no mundo dele.

10. Conheça o seu “normal”

Existem tantas versões diferentes do normal. A versão do adolescente de “normal” vai mudar durante a adolescência, mas quanto mais você puder obter uma identificação sobre qualquer que seja o seu “normal” – sentimentos, comportamento, hábitos – o mais rápido você terá uma ideia de quando algo está errado. Isso pode ser particularmente difícil durante a adolescência, porque eles estão mudando muito, mas confie em seus instintos. Se você tiver dúvidas, pergunte: “Eu notei que você está dormindo muito ultimamente. Você se sente como?” Se eles disserem que está tudo bem, confie nisso por um tempo. Se parecer que as coisas não estão bem, esteja aberto à possibilidade de que você esteja absolutamente certo. Confie na sua intuição e continue a ser gentilmente curioso.

11. Você não tem que corrigi-los

Veja-os e note-os, mas lembre-se que você não precisa corrigi-los. Nenhum de nós gosta de sentir que somos um problema que precisa ser corrigido, que é como ele pode se sentir quando as pessoas entram em modo de resolução de problemas, mesmo quando é feito com a intenção mais amorosa. Em vez disso, escute com um coração aberto e uma mente aberta e sem julgamento. Crie oportunidades para seu filho adolescente, mas expresse-as de maneira incidental e sem expectativa. Ao invés de: “Você sabe que se você se exercitar, você provavelmente se sentirá melhor”, tente, “vou levar os cães para dar uma volta um pouco mais tarde se você quiser vir.”

E finalmente …

A adolescência é um período de grandes mudanças, que podem ser confusas para os adolescentes e as pessoas que os amam. Adicionando à confusão e ao comportamento “normal” de adolescente, os sinais de uma problemas na saúde mental pode parecer a mesma coisa. Mudanças nos padrões de sono e alimentação, mau humor, afastamento da família, irritabilidade – podem ser uma parte muito normal da adolescência, ou podem ser sintomas de depressão. É importante deixar o adolescente se afastar quando precisar. O impulso para a independência da família e dos pais é uma parte muito importante da adolescência, mas também é importante permanecer gentilmente curioso, vigilante e disponível. Quanto mais notarmos quando aqueles que amamos estão lutando, ou quanto mais ouvimos os sussurros do coração quando algo não está certo, mais capacitados estamos a responder de uma maneira que pode curar e fortalecer.

 Texto de Karen Young – publicado originalmente em Hey Sigmund – Tradução e adaptação livre de Thálitha Miranda especial para o Portal Raízes

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Thalitha Miranda
Thálitha Miranda, designer gráfico. Diz que nunca consegue tomar uma decisão que seja para sempre, mas adora tatuagens. Tatuagem é pra sempre?

COMENTÁRIOS