Ted L. Huston e sua esposa. Imagem extraída de sua página no Facebook

Pesquisador pode afirmar se o seu casamento vale a pena ou não

Portal Raízes

Ted Huston, professor de psicologia e ecologia humana da Universidade do Texas, após seu projeto de pesquisa de 13 anos, analisando 168 casais desde o início dos seus casamentos, chegou a algumas conclusões muito importantes e afirma que “Os primeiros dois anos são fundamentais (num relacionamento). As mudanças que ocorrem nesse período revelam muito sobre o destino do casamento”.

Quais mudanças num relacionamento permitem prever seu destino?

O pesquisador citado na reportagem diz que o que mais o surpreendeu foi descobrir que a perda do amor e do carinho são os maiores prenúncios de possíveis naufrágios dos casamentos, e não o aumento dos conflitos nos relacionamentos.

Ted Huston também observou que muitas abordagens terapêuticas para ajudar casais que enfrentam problemas estão equivocadas: elas se concentram mais em tentar “resolver os conflitos”, quando deveriam se “concentrar em preservar os sentimentos positivos”.

Podemos concluir então, de acordo com o estudo citado, que não são os desafios que um casal enfrenta, tais como dificuldades financeiras, por exemplo, que costumam colocar um fim a tantos relacionamentos, mesmo porque todos nós conhecemos inúmeros casais que enfrentaram terríveis desafios e continuaram juntos e felizes. Tais casais que não se separaram mesmo passando por dificuldades, em muitos casos, provavelmente conseguiram manter acesa a chama do amor e do carinho.

A “cola” do amor

Se fôssemos simplificar bastante as coisas, poderíamos dizer então que o amor entre um casal seria uma cola que os mantém unidos? Quanto mais forte tal “cola”, portanto, mais firme e duradouro será o relacionamento. “Cola” fraca, ao contrário, pode não conseguir manter unido o casal, quando surgirem os vendavais da vida.

Como aumentar ou fortalecer o amor?

É possível fortalecer o amor, desde que os cônjuges estejam realmente interessados no sucesso do relacionamento e se esforcem para fazer o parceiro (ou parceira) feliz. Fazer o parceiro feliz, aliás, é uma das melhores maneiras de aumentar o amor num relacionamento. Pode ser que existam pessoas tão insensíveis que mesmo recebendo torrentes de amor e de carinho, não se tornem também mais amorosas. A probabilidade de quem demonstra amor ser mais amado, porém, é muito maior.

Vale repetir aqui o que já escrevi outras vezes: vi e ouvi um padre dizer muitas vezes que, “se você quer casar para ser feliz, não case; mas se você quer se casar para fazer a outra pessoa feliz, então case!”. Eu ouvi isso em tantas ocasiões em que trabalhava como músico nas cerimônias de casamento, que tais palavras ficaram gravadas indelevelmente em minha alma. Esse conselho tem sido útil em minha vida muitas vezes, pois quando lembro dele, eu procuro fazer alguma coisa (mesmo que seja uma coisa bem simples) para alegrar a minha esposa. E funciona mesmo!

Um tesouro perdido

Quando demonstramos amor para uma mulher, recebemos em troca uma tonelada de carinho. Muitos homens, por não saberem disso, desperdiçam um tesouro, que para eles está perdido, que é o tesouro de se ter uma mulher bem-amada.

PS. O resultado desse estudo pode ser lido na matéria “O Seu Casamento Vai Durar?” – por Aviva Pats, na Revista Seleções de Janeiro de 2001.

Publicado no site Família.com – Adaptação e título Portal Raízes 

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Portal Raízes

Portal Raízes Jornalismo Cultural


COMENTÁRIOS