André Marques foi o primeiro a encontrar Tom Veiga: ‘Era um dos meus melhores amigos’

Portal Raízes

Muito emocionado, o ator e apresentador André Marques divulgou um vídeo, desabafando sobre a morte do amigo, o ator Tom Veiga, que interpretava o Louro José, ele contou que foi o primeiro a chegar na casa de Tom neste domingo (1º), onde já o encontrou morto.

Aperícia do Instituto Médico Legal apontou a causa da morte como um AVC hemorrágico, em decorrência de um aneurisma.

Com dificuldades para falar, André Marques contou que recebeu uma ligação de um amigo em comum com o Tom, perguntando se eles estavam juntos.

O amigo perguntou “André, você está com o Tom? Porque ele tinha que ir para São Paulo, você também não tinha que ir para São Paulo?” Porque eu ia. Aí, eu estava indo para o aeroporto e eu voltei. Falei: “vou lá na casa dele porque ele não está atendendo”. Aí, eu fui o primeiro a chegar lá [embarga a voz, muito emocionado].”

“Peço para vocês orarem por ele porque a essa hora ele já está fazendo um monte de gente rir. Papai do céu estava precisando de um cara maneiro, fera, paizão e amigo de todo mundo, uma unanimidade. Deveria estar sem muita gente lá assim, só pode ser (…) Ele era um cara demais.”

André lembrou da proximidade com Tom e contou que eles se viam quase todos os dias.

“É muito difícil para mim falar do Tom porque era um dos meus melhores amigos. Eu acabei de chegar lá da casa dele. A gente estava todo dia juntos, todo dia vinha aqui em casa, na minha loja, eu fazia comida para ele. Ele era um personagem de sucesso, mas ele era mais sucesso ainda. Era um cara querido. Eu apresentava ele para os outros: ‘Ele que faz o Louro José’. ‘Caraca, pô, grava um vídeo, grava um áudio para a minha mãe, que é sua fã’. Ele fazia para todo mundo”, enfatizou.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.