Após ‘dia de beleza’, dona de salão oferece emprego à moradora de rua trans

Portal Raízes

“Quando vi ela comendo o lixo, peguei na sua mão e a convidei para jantar”. Esse foi o relato da proprietária de um salão em Natal, Tatiana Van Campo, que deu um dia de beleza completo para a Ana Paula, uma mulher transexual que vive em situação de rua. Após uma semana do acontecido e da repercussão, Tatiana informou que vai dar um emprego à Ana Paula. “Ela vai fazer parte da minha equipe”.

Na noite da sexta-feira 24 de maio, Tatiana voltou para pegar a bolsa que havia esquecido. Saindo do local, ela se deparou com uma triste cena na rua.

“Eu vi a Ana Paula comendo lixo na frente do salão. A moça tinha acabado de colocar o lixo para fora e ela estava lá. Pegou o resto de uma marmita que estava dentro do lixo e comeu com as mãos. Quando vi essa cena, me doeu muito o coração. Fiquei muito mal”.

Tatiana pegou na mão da moradora e a levou para a cozinha do salão. “Eu até tinha esquecido que o salão estava em funcionamento e lotado. O pessoal até assustou, acharam que era um assalto. E eu disse, não, ela está comigo”.

Ana Paula sentou, comeu junto com Tatiana e funcionários e contou um pouco sobre a sua vida. “Ela relatou que saiu de casa aos 15 anos. Os pais não aceitaram a sua orientação sexual e por isso, foi expulsa de casa”.

Após o jantar, Tatiana ofereceu a moradora de rua dinheiro para se alimentar nos próximos dias. “Nesse momento, ela relatou que tinha o sonho de fazer o design de sobrancelhas”.

Transformação

Na segunda-feira, dia 27 de maio, Ana Paula voltou ao salão. O que ela não sabia é que ganharia um dia de beleza! “Eu disse para ela que iria tratá-la como se fosse uma cliente minha. Fizemos coloração, mechas, progressiva, maquiagem, tratamos ela com todo o requinte que poderíamos oferecer. Ela chorou, se sentiu gente, sabe? Ficamos todos emocionados.”

View this post on Instagram

Hoje, nosso dia foi mais que especial ! Foi o dia da transformação da Ana Paula . Encontramos a Ana Paula comendo o lixo da frente do nosso salão , foi muito triste a cena . O coração não resistiu . Pedimos imediatamente que ela entrasse para se alimentar conosco na nossa cozinha . Ana Paula , foi expulsa de casa aos 15 anos , pela sua orientação sexual . Nos contou que apanhou muito e nos falou a história de vida dela . Hoje , oferecemos a Ana Paula um dia de beleza , alimentação e muitos sorrisos . As coisas que fazemos de coração não precisam ser publicadas ! Sabemos bem disso , pois é mas aqui postamos para que nossos colegas de profissão também possam se solidarizar e fazer também o bem e levar mais alegria ao levantar a autoestima de pessoas que como Ana Paula também merecem o nosso amor . Obrigada equipe !! Juntos somos mais fortes 🙏🏻✨❤️🙏🏻❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️

A post shared by Tatiana Van campo – Educadora (@classdasloiras) on

Tatiana explicou que não iria publicar a foto e que ficou surpresa com a repercussão. “Eu tenho uma funcionária transexual e ela pediu que publicasse, que precisávamos fortalecer essa luta. Foi muito gratificante mostrar a sociedade que fazer o bem não tem preço”.

Emprego para Ana Paula

Desde o dia da transformação, Tatiana e sua equipe pensaram que poderiam fazer mais por Ana Paula e decidiram: “A Ana Paula vai integrar a minha equipe. Eu vou profissionalizá-la. Se eu ensinei mais de 17 mil pessoas, por que ela não?”.

“Ela iniciará o curso de cinco dias práticos. Durante esse processo todo, a Ana Paula vai morar no salão. Enquanto o salão existir, não temos como deixá-la na rua. Ela nunca mais vai comer lixo!”.

Acompanhe toda história no instagram @classdasloiras.

Via. Razões para Acreditar

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão.As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores.A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.