Loretta Breuning
Loretta Breuning

Estamos todos cansados socioemocionalmente , mas somos resilientes

Portal Raízes

Estamos todos cansados socioemocionalmente. Nosso corpo, nossa mente, nossas emoções, nossos pensamentos e sentimentos, são todos cansaço. Também pudera, porque passamos 2020 inteiro enfrentando a pandemia do novo coronavírus e mesmo agora, um ano depois, ainda não temos a esperança de que ela termine. Diante desta realidade, onde encontraremos forças para manter o pensamento positivo, e assim preservar a nossa saúde integral? 

filósofo e cientista da computação, o americano Steven Parton estudou como a reclamação constante e o pensamento positivo podem alterar os neurotransmissores responsáveis pelo nosso bem-estar. Segundo ele, o cérebro constrói suas conexões com base em tudo a que é repetidamente exposto. Portanto, se alguém está habituado a fazer reclamações e ter pensamentos negativos, o órgão buscará fazer isso novamente, já que esse é o caminho mais fácil, pois ele já saberá por onde seguir. A boa notícia é que isso também acontece da forma contrária, com o pensamento positivo e a gratidão.

Assim, neste artigo vamos dar algumas dicas de como treinar o cérebro a manter o pensamento positivo. 

Seu cérebro está condicionado desde o nascimento a ver o negativo e ignorar o positivo. Embora estejamos constantemente em busca de coisas positivas e recompensas, estamos sempre lutando contra nosso cérebro e nossa natureza. Isso tudo soa muito negativo em si, mas há alguma fresta por aí.

Por que o seu cérebro fica negativo?

Antes de procurar a solução para este constate estado de negatividade, é importante descobrir porque os nossos cérebros parecem ver o mundo automaticamente através de lentes negativas. De acordo com a escritora Loretta Breuning:

A Química no corpo dói – Nosso corpo é composto de uma variedade de produtos químicos. Alguns são bons, alguns não são tão bons. Produtos químicos como dopamina, serotonina e oxitocina se enquadram na categoria de produtos químicos “felizes” e criam sensações de prazer ou satisfação. Nosso corpo libera estes em jatos curtos, que são metabolizados rapidamente. Isso nos leva a continuar buscando formas de estimular esses produtos químicos. Na extremidade oposta do espectro está o cortisol, uma substância química que surge para conectar todos os neurônios ativos em um único momento, causando a sensação de dor. É eficaz – motiva você a se concentrar na causa da liberação e a trabalhar para fazê-la parar. Infelizmente, isso vem ao custo de não notarmos muito mais, exceto a solução para parar a dor ou desconforto.

Estamos cercados por gatilhos – Nossos ancestrais estavam cercados por perigos, e nós também – embora de diferentes linhagens. Embora eles possam ter se preocupado com os animais selvagens, estamos mais preocupados com a decepção ou o fracasso. De qualquer forma, seu cérebro logo aprende o que associar com o bem e o que associar com o mal.
Nossos cérebros aprendem com a dor – sua mente se lembra do que desencadeia aquela injeção de cortisol e aprende a fazer a varredura para esse gatilho. Isso é necessário para nos ajudar a evitar perigos, mas também significa que o cérebro se concentra apenas nos aspectos negativos que encontramos. Alguém que é alérgico a abelhas estará constantemente procurando por abelhas. Portanto, eles podem não notar o belo canteiro de flores que cerca a única abelha zumbidora.

A Dificuldade de Ser Social – Somos uma espécie inerentemente social, que traz seu próprio conjunto de dificuldades. Estamos constantemente nos comparando com os outros, o que pode levar a constantes idas e vindas de serotonina e cortisol. Quando nosso cérebro vê que estamos em uma posição de fraqueza, recebemos uma dose de cortisol. Quando ele vê que estamos em uma posição de domínio, recebemos uma injeção de serotonina. A serotonina é processada mais rapidamente, o que significa que precisamos tentar novamente para obter a recompensa social. Há um outro lado disso – também precisamos de apoio social.

Nosso cérebro busca segurança no rebanho e libera oxitocina quando encontramos segurança no apoio social. Mas quando nos afastamos do rebanho e da segurança, ou quando o próprio rebanho é ameaçado, ele libera cortisol em alarme. Portanto, seu cérebro está enviando sinais confusos – você pode se sentir seguro no rebanho e receber oxitocina, mas ao mesmo tempo se encontra em uma posição de fraqueza, liberando o cortisol. Isso causará sentimentos confusos e pode levar à ansiedade em ambientes sociais.

Como construir um circuito de positividade?

A boa notícia é que você pode treinar novamente seu cérebro para procurar coisas positivas em sua vida cotidiana. Existem alguns métodos para tentar – escolha um ou tente todos eles para descobrir o que funciona melhor!

1 – Treinando o cérebro – Três vezes ao dia, todos os dias, gaste um minuto procurando especificamente por pontos positivos. Isso ajuda a retreinar seu cérebro, fazendo-o procurar os positivos da mesma forma que procura os negativos. Embora o Dr. Breuning recomende que você faça isso por 45 dias, realmente não há razão para parar depois disso.

A esperança é que você treine seu cérebro para que ele busque automaticamente os positivos após esse período de tempo. Isso pode ser um pouco ambicioso, e se você achar que seu cérebro não está trabalhando para encontrar esses aspectos positivos, continue procurando ativamente até que isso aconteça.

2 – Dê feedback positivo todos os dias – Deixe as pessoas saberem que você está reconhecendo aspectos positivos, não importa o quão recentes sejam. Isso pode significar reservar um minuto e agradecer ao colega que o ajudou em um projeto. Pode significar desenterrar um antigo mentor, como um professor universitário ou professor do ensino médio, e agradecê-los pelos conselhos que eles podem ter dado e que agora você usa todos os dias.

3 – Aprenda como fazer “pivô” – Se você perceber que está pensando negativamente, pare e pense onde você se encontraria se virasse 180 graus a partir dessa maneira de pensar. Em seu artigo, a Dra. Breuning apresenta o exemplo Dog Poop: Por muito tempo, as pessoas não limpavam os dejetos dos  animais de estimação enquanto passeavam com eles, então havia cocô de cachorro por toda parte. Nos dias atuais já é comum as pessoas recolherem os dejetos de seus cães. No entanto, percebemos quando algumas pessoas não atendem a esse interesse popular,  provoca indignação. Com base nesse exemplo: ao invés de você ficar bravo e se concentrar no negativo – no cocô de cachorro que está no caminho – pense no positivo, no fato de que 99% das pessoas estão recolhendo os dejetos de seus cachorros.

4 – Ajude outras pessoas, isso é como pagar uma conta adiantada e não ter mais que se preocupar com ela – Todos nós já ouvimos sobre aqueles momentos de “pagar adiantado” no Starbucks ou McDonald’s, mas você não precisa pagar às redes de fast-food para conseguir isso. Apenas faça pequenos atos de bondade que ajudem outras pessoas. Ajudar os outros ou fazer os outros se sentirem bem aumentará sua positividade.

5 – Cuide da sua saúde integral – Sua saúde pode afetar sua perspectiva. Se você está comendo bem, dormindo bem e se exercitando de maneira adequada, é mais provável que tenha uma perspectiva positiva. Este não é apenas um conto de esposas antigas – embora eles não tenham apontado o motivo exato por que é, universidades como a Johns Hopkins e a Universidade de Kansas observaram esse link. Dê uma olhada honesta e crítica em como você trata seu corpo e o que você coloca nele.

6 – Deixe a sua negatividade interior pra lá- Centralize seus pensamentos nas coisas que o fazem feliz, ajudando a direcionar sua mente para o lado positivo. A negatividade constante e o ceticismo habitual influenciarão suas decisões e o manterão em um ciclo negativo constante que poderá lhe deixar muito doente.

Então deixe pra lá. Pare de deixar que os negativos o atrapalhem e limitem seu potencial. Controle seus pensamentos, centrando-se nas coisas que o fazem feliz. Se você começar a se sentir exausto, estressado ou distraído, acalme sua mente e diminua o ritmo. Até mesmo pause o que você está fazendo, mesmo que apenas por um momento, e limpe sua mente de pensamentos negativos. Então, volte a se mover com o pé direito.

7 – Traga positividade para o momento presente – Ao praticar a atenção plena – e torná-la um hábito – você impede que sua mente subconsciente dirija. Fazer com que sua mente consciente conduza as decisões o ajudará a concentrar seus pensamentos em uma abordagem mais positiva e equilibrada. Uma ótima maneira de fazer isso é perguntando a si mesmo, como:

  • O que posso fazer agora que me dará alegria?
  • Neste exato momento sou grato a que?
  • Há algo que eu possa fazer para dar felicidade a outra pessoa agora?
  • Como posso demonstrar gratidão?

Ao treinar novamente seu cérebro para ser positivo em vez de negativo, você pode mudar sua visão da vida. Você se sentirá melhor e provavelmente verá melhorias em sua vida social e profissional. Conforme observado aqui, houve vários estudos sobre os efeitos da positividade. Os efeitos da positividade funcionam como as respostas imunológicas a um vírus no corpo, atacando a negatividade e sarando a mente.

É importante dizer que você não verá mudanças da noite para o dia, mas isso é simplesmente a realidade. Você está lutando contra séculos de instintos criados e sistemas químicos desenvolvidos. Mas você verá mudanças e, com o tempo, perceberá os efeitos benéficos da positividade no seu cérebro, na sua vida.

Leia também: A Ciência Explica Como O Hábito De Reclamar Adoece O Nosso Cérebro

Da redação de Portal Raízes. Se você gostou do texto, curta, compartilhe com os amigos, e não se esqueça de comentar. Pois isto contribui para que continuemos trazendo conteúdos incríveis para você. Siga o Portal Raízes também no Facebook, Youtube e Instagram.

 

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.