A ciência descobriu Freddie Mercury é o melhor vocalista da história. Sua voz era anormal!

Portal Raízes

Talvez enquanto você estiver lendo isso, diga: que descoberta! (leia em tom irônico). Quem são os gênios que descobriram isso 27 anos após a morte de Freddie Mercury? Bem, não é como você pensa. Sim, todos nós sabemos que Freddie Mercury era único, irrepetível, extraordinário, espetacular e todos os sinônimos correspondentes. Mas agora todos esses elogios têm apoio científico. Não é uma opinião subjetiva: o cantor do Queen é o melhor cantor da história.

Um grupo de cientistas austríacos, checos e suecos investigou o vibrato e tom de voz de Mercury. A investigação determinou que os vibrato (vibrações produzidas pelo tremor nervoso no diafragma e laringe para libertar a nota de voz) variam de 5,4 Hz a 6,9 Hz. Chegando a 6,9 Hz já é extraordinariamente poderosa. É o mais alto … ou assim foi acreditado. Acontece que o vibrato de Mercury foi de 7,04 Hz. (Se você perdeu sua aula de física e não sabe o que é Hz, tenha em mente que Freddie quebrou um recorde cientificamente comprovado).

Em 5 de setembro, Mercury – que nasceu como Farrohk Bulsara – teria completado 72 anos se não tivesse morrido em 24 de novembro de 1991, de pneumonia causada por sua doença pelo HIV.

Já se passaram 27 anos desde sua morte, mas ele ainda é lembrado, honrado de geração após geração; pelo público que teve a honra de vê-lo cantar ao vivo, aqueles que curtiram sua voz no rádio nos anos 80, pelo público que adora sua música com um ar de nostalgia por ter nascido após sua partida, e pelos novos fãs que transbordam amor com Mercury após o fenômeno de “Bohemin Rhapsody”.

Então você já sabe; nosso amor e adoração por ele; pela sua voz; por sua encenação e pelo que evoca no alto de um palco, é apoiado também pela ciência.

Texto de UPSOCL, traduzido e adaptado por Portal Raízes

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão.As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores.A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.