“Ninguém está livre de entrar nas estatísticas. A pandemia não acabou”

Portal Raízes

Ana Escobar, médica pediatra e consultora do Bem Estar, falou á edição das 10h na Globo News, nesta terça-feira, 01 de junho sobre a importância do uso correto da máscara, e disse que pessoa alguma está livre de adoecer, adoecer gravemente. Pois, segundo ela, temos visto muitos jovens na UTIs. A médica ressaltou ainda que pessoa alguma está livre de fazer parte da estatística de 60 mil óbitos e que a pandemia não acabou. Nós do Portal Raízes, fizemos a transcrição de alguns trechos de sua fala. Confira:

Temos três armas contra o vírus: usar corretamente a máscara, lavar as mãos e manter o distanciamento social

“O que é importantíssimo todo mundo saber, é o seguinte: não existe medicamento eficaz ainda, contra o coronavírus; a vacina não está disponível ainda. Então a gente só tem três armas: a máscara, lavar as mãos e manter o distanciamento social; coisa que nem sempre é possível em cidades que as pessoas precisam pegar o transporte público. Então a máscara e a lavagem das mãos são as maiores armas que a gente tem”.

“A gente consegue sim, evitar a contaminação por esse novo coronavírus com o uso correto da máscara. A máscara não é um enfeite. As pessoas precisam acreditar que a máscara correta, funciona sim. A máscara de tecido, duas camadas, funciona e evita que a pessoa adoeça”.

“Ninguém está livre de adoecer, adoecer gravemente. Temos visto muitos jovens na UTIs. Ninguém está livre de fazer parte da estatística de 60 mil óbitos. A pandemia não acabou. Não é porque está tendo abertura (do comércio) que essa pandemia acabou. Não acabou”.

Qual é a eficácia da máscara e quanto essa eficácia dura ao longo do dia?

Ao ser questionada acerca da eficácia das máscaras que usamos no dia a dia, levando em conta que muitos trabalhadores passam o dia todo com a mesma máscara, a médica disse que a máscara que protege até 95%, é que os profissionais da saúde usam, a n95, ou a máscara cirúrgica, mas as pessoas não precisamos usar essa essa máscara, porque ela é para quem está em contato direto com os contaminados.  As máscaras de tecidos de algodão, ou poliéster, com dupla camada, garantem uma boa respirabilidade e são eficientes até duas horas de uso contínuo. Se for passar o dia inteiro usando uma máscara, ela precisa ser substituída a cada duas horas. Não compre máscaras finas, transparentes. Qualquer coisa menos do que duas camadas, não lhe protegerá de forma eficiente.

Em suma, Ana Escobar disse que a máscara não é uma blindagem. Ela não garante 100% de proteção, garantem de 60 a 80%. Assim,  o fato de estar usando uma máscara não significa que a pessoa possa sair por aí para passear, prosear e se aproximar dos demais como se uma pandemia não estivesse acontecendo. Todos precisam assumir responsabilidades. E nossa responsabilidade é usar essas três armas que temos: o uso da máscara, lavar as mãos, e o distanciamento social.

As máscaras caseiras não são ideais, segundo a especialista, mas podem ajudar, “desde que tapem o nariz e a boca, não sejam tocadas pelas mãos durante o uso e sejam descartadas no lixo após 2 horas ou se ficarem úmidas”, afirma. No vídeo, ela ensina a fazer uma com objetos fáceis de encontrar. Confira:

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão. As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.