Captura de imagem do curta
Cérebro Dividido

Animação: a constante luta do cérebro entre o racional e o instintivo

Portal Raízes

Quem nunca se viu em uma situação delicada, em que o cérebro fica extremamente confuso e dividido entre a razão e a emoção? Josiah Haworth, Joon Shik Song e Joon Soo Son, alunos da escola americana Ringling College of Art and Design, retrataram esse tipo de problema em uma situação típica: o primeiro encontro. Com um enredo envolvente e uma animação sensível e repleta de humor, que retrata a constante luta do cérebro entre o racional e o instintivo, eles conquistaram o prêmio de melhor animação no Cartoon Brew Student Animation Festival.

Inspirados nos pensamentos do francês, Émile Durkheim, buscamos uma animação que simula de modo criativo e bem humorado a sua máxima de que “se tirarmos do homem tudo o que a sociedade lhe empresta em termos de educação, ele voltará a sua origem animal”.

Durkheim acreditava que a sociedade seria mais beneficiada pelo processo educativo. Para ele, “a educação é uma socialização da jovem geração pela geração adulta”. E quanto mais eficiente for o processo, melhor será o desenvolvimento da comunidade.

Nessa concepção durkheimiana, as consciências individuais são formadas pela sociedade. Ela é oposta ao idealismo, de acordo com o qual a sociedade é moldada pelo “espírito” ou pela consciência humana. “A construção do ser social, feita em boa parte pela educação, é a assimilação pelo indivíduo de uma série de normas e princípios – sejam morais, religiosos, éticos ou de comportamento – que baliza a conduta do indivíduo num grupo. O homem, mais do que formador da sociedade, é um produto dela”, escreveu Durkheim.

Veja a animação Cérebro Dividido (Brain Divided) que retrata a constante luta do cérebro entre o racional e o instintivo:

Se você gostou desta animação, com certeza você também irá gostas dessas:

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Portal Raízes
Humanismo, sociologia, psicologia, comportamento, saúdes: física, mental e emocional; meio ambiente, literatura, artes, filosofia. Nossos ideais estão na defesa dos direitos humanos, das mulheres, dos negros, dos índios, dos LGBTs... Combatemos com veemência o racismo, o machismo, a lgbtfobia, o abuso sexual e quaisquer tipos de opressão.As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores.A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.