O caso do roubo que o empresário Bruno de Paula passou no final de abril chamou atenção nas redes sociais. No último dia cinco, no Twitter, Bruno relatou que, ao voltar de uma viagem, enquanto usava o celular para pedir comida, teve seu smartphone subtraído de dentro do táxi. Porque o dispositivo foi roubado desbloqueado, os bandidos conseguiram acesso a aplicativos de bancos e delivery – o que causou prejuízo de mais de R$ 140 mil ao empresário, em empréstimos e compras.

A facilidade com que criminosos conseguiram fazer esses empréstimos, pagamentos e compras usando as credenciais de Bruno levantou o questionamento: aplicativos de banco são mesmo seguros? Como é possível mantê-los protegidos em casos de furtos?

Antes de você sair correndo para uma loja para comprar um celular só para os app de bancos, leia estas 6 dicas que a TechTudo sugere.

6 maneiras de proteger app de banco no celular

1. Use uma senha de bloqueio no seu celular

A primeira dica para garantir que seus aplicativos de banco fiquem seguros é muito simples: cadastre uma senha numérica de bloqueio assim que comprar seu celular. Desse modo, caso você seja furtado e o smartphone esteja bloqueado, haverá uma camada a mais de proteção que bandidos deverão burlar para acessar seus apps e suas contas.

Embora a biometria – ou seja, identificação facial e/ou digital – seja um método prático de desbloqueio, é imprescindível que ele não seja o principal. Isso porque, embora seja seguro, esse sistema pode ter vulnerabilidades que permitam burlá-lo. Por isso, o ideal é cadastrar no seu celular uma senha numérica.

2. Não deixar seus dados de cartão salvos no celular

Salvar dados de cartão de crédito em apps como iFood e Mercado Livre pode ser uma ação prática e que salva tempo, mas que pode custar caro em caso de roubos. Isso porque, quando esses cartões estão cadastrados nos aplicativos, nem sempre é necessário inserir o código de segurança para realizar compras. Assim, ladrões conseguem adquirir produtos rapidamente e sem grandes empecilhos.

O ideal nesses casos é utilizar um cartão virtual e temporário para esse tipo de aplicativo. Além disso, uma boa dica também é emitir um cartão de limite baixo voltado somente para apps. Assim, caso seja roubado, o prejuízo pode ser mitigado.

3. Usar biometria como camada extra, não como principal acesso

É possível acessar alguns apps de banco utilizando apenas a biometria do celular. Esse método, embora permita logar mais rapidamente nas contas, pode ser inseguro – já que eventualmente criminosos conseguem encontrar maneiras de cadastrar novos dados biométricos em seu smartphone, o que gera acesso mais simples à sua conta e, consequentemente, às suas transações.

Aqui, o ideal é nunca manter suas contas de banco logadas frequentemente – mas, caso precise, mantenha uma senha de número como principal forma de acesso. Vale lembrar ainda que guardar informações como agência e conta bancária na memória é outra prática que deve ser evitada para a sua segurança.

4. Cadastrar um e-mail separado para recuperação de conta

Quando precisar fazer cadastro de um e-mail secundário para recuperação de conta, evite utilizar um endereço que esteja logado no seu aparelho. Isso porque, caso ele seja roubado, o criminoso poderá ter acesso a ele diretamente pelo smartphone. Opte por um e-mail que fique conectado a um celular secundário (como de amigos ou familiares, por exemplo) e/ou a um computador.

5. Esconder apps importantes

Em último caso, é possível esconder aplicativos nos celulares de algumas maneiras diferentes. No iPhone, existe a opção de mover os apps para a biblioteca, o que torna o acesso a eles um pouco mais difícil. Em smartphones Samsung, é possível criar uma pasta segura e guardar diferentes tipos de arquivos – incluindo aplicativos – ali. Já no Android, é possível recorrer a apps como o Hidder App.

6. Saiba seu número IMEI e bloqueie remotamente o celular

O IMEI é o número de identificação do seu smartphone – ou seja, funciona como se fosse a carteira de identidade dele. Essa numeração deve ser apresentada em boletins de ocorrência e pode ser utilizada para bloquear o smartphone remotamente, via operadora.

Para descobrir seu número IMEI, abra a parte de ligações do seu telefone e digite *#06#. Procure a numeração referente a esse código, anote e guarde em algum local seguro.

Texto extraído de TechTudo.

RECOMENDAMOS






As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.