Não teremos confiança em movimentar o comércio até que o vírus se dissipe 

Clara Dawn

A questão não é ser contra ou a favor do isolamento social: salvar vidas é a única opção numa pandemia, e isso nem deveria ser colocado em pauta. A obrigação dos governos é garantir que, tanto as medidas de isolamento social, quanto o combate á doença, sejam realizados com mínimo de prejuízo. As organizações de saúde não podem se preocupar com a crise econômica, pois juraram salvar vidas a qualquer custo. Ora, vamos dar ao assunto a cor que o assunto traz: se a saúde fosse tratada com respeito, se a distribuição das riquezas não estivesse concentrada nas mãos de um pequeno grupo, certamente não estaríamos agora mesmo vivenciando todo este caos recheado de mortes evitáveis.

Contudo, de repente a coisa tomou um viés político partidário de dar nos nervos. E a gente rola o Feed de notícias e se depara com discussões acerca de ‘o que você prefere: morrer de Covid ou morrer de fome?. Essas não são opções consideráveis no universo da classe trabalhadora. Essa gente não tem o privilégio de escolher ficar em casa para não espalhar o vírus; tampouco pode escolher ‘não morrer’ de fome, conquanto há – no Brasil – mais de cinco milhões de pessoas que não têm o que comer.  Número este que crescerá exponencialmente durante e depois da pandemia.

Da mesma maneira, equiparar: salvar economia x salvar vidas; ou “dá para fazer as duas coisas ao mesmo tempo”, não são variáveis práticas aos que estão envolvidos diretamente com a situação. Não adiantará ignorar a realidade global da pandemia, e abrir o comércio para que tudo se enquadre dentro do ‘novo normal’. As pessoas não terão confiança em movimentar o comércio até que o vírus se dissipe. Até mesmo os que são contra as medidas de isolamento, não terão confiança. Somente dois grupos de pessoas não estão com medo da pandemia: os multimilionários e aqueles que têm um excelente plano de saúde, que lhes garante um bom tratamento, num bom leito com respirador, num bom hospital. Se você está em um desses grupos, que bom para você. Agora, se você não faz parte de nenhum desses grupos, mas dá suporte defensivo a eles, se cuide, porque você está entre os milhões de explorados, oprimidos, espoliados, traídos e subjugados pelo sistema.

Este texto é de autoria da escritora, psicopedagoga e psicanalista Clara Dawn – Exclusivo para o Portal Raízes. É proibida a reprodução parcial, ou total, sem a nossa prévia autorização.(Lei Nº 9.610 de 19 de fevereiro de 1998).

Leia mais:

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Clara Dawn
Clara Dawn é romancista, psicopedagoga, psicanalista, pesquisadora e palestrante com o tema: "A mente na infância e adolescência numa perspectiva preventiva aos transtornos mentais e ao suicídio na adolescência". É autora de 7 livros publicados, dentre eles, o romance "O Cortador de Hóstias", obra que tem como tema principal a pedofilia. Clara Dawn inclina sua narrativa à temas de relevância social. O racismo, a discriminação, a pedofilia, os conflitos existenciais e os emocionais estão sempre enlaçados em sua peculiar verve poética. Você encontra textos de Clara Dawn em claradawn.com; portalraizes.com Seus livros não são vendidos em livrarias. Pedidos pelo email: escritoraclaradawn@gmail.com