Tem sido dias de muitas lágrimas para a classe artística brasileira, bem como para seus fãs, pois só este ano já se despediram de nós: Claudia Jimenez, Elza Soares, Milton Gonçalves, Paulinha Abelha, Jô Soares Françoise Forton, Ivan Gomes, Rolando Boldrin Breno Silveira, Suzana Faini, Gal Costa Roberto Luna, Danuza Leão e a porta-bandeira Maria Helena. E agora o nosso querido Erasmo Carlos.

O cantor, compositor, ator e multi-instrumentista morreu nesta terça-feira, 22/11, no Rio de Janeiro. Erasmo estava internado desde o dia 2 no hospital com quadro de paniculite complicada por sepse de origem cutânea, como consta o boletim médico divulgado pelo Hospital Barra D’Or.

Paniculite é a inflamação da camada de gordura que fica abaixo da pele. Ela se manifesta a partir caroços sensíveis e vermelhos. Normalmente, surge em pessoas com determinadas infecções, lesões e doenças autoimunes.

A família informou em uma nota oficial que o velório do artista será fechado para os familiares e amigos. Não disseram onde acontecerá a cerimônia de despedida.

“Você transcendeu, quem morreu fui eu”

Fernanda Passos, viúva de Erasmo Carlos, escreveu uma emocionante desabafo nas redes sociais sobre o falecimento do marido. Na postagem feita durante a madrugada desta quarta-feira, 23/11, ela falou sobre o quanto está sendo doloroso para ela. O cantor e compositor faleceu nesta terça-feira, após passar dias internado, receber alta e voltar as pressas ao hospital.

“Você transcendeu, quem morreu fui eu! Eu pedi tanto, eu implorei, implorei a Deus, seus médicos, apelei… Vido, não era sua hora, você não quis ir embora, e Deus não te tirou de mim, foi uma doença, foi coisa da vida, e a gente sabe que em alguns momentos a vida é uma bela merda. Eu vi você se esvaindo por entre meus braços, e eu vi você com sede de viver, com sede de VIVER COMIGO! Você vivia por mim! Foram 12 anos de encontro.

Sempre te amei com pressa, com desespero, com dor, com sangue, com lágrimas, meu amor é feroz! Preparei a casa para você voltar. Lavei as roupas, lavei as roupas de cama, e com isso perdi seu cheirinho. Amor, logo o cheirinho!!!!!!!!!! Logo eu que não posso viver sem seu cheirinho!!! Eu me desesperei procurando onde eu poderia encontrar seu hálito, seu suor, o cheiro dos seus cabelos…”

RECOMENDAMOS






As publicações do Portal Raízes são selecionadas com base no conhecimento empírico social e cientifico, e nos traços definidores da cultura e do comportamento psicossocial dos diferentes povos do mundo, especialmente os de língua portuguesa. Nossa missão é, acima de tudo, despertar o interesse e a reflexão sobre a fenomenologia social humana, bem como os seus conflitos interiores e exteriores. A marca Raízes Jornalismo Cultural foi fundada em maio de 2008 pelo jornalista Doracino Naves (17/01/1949 * 27/02/2017) e a romancista Clara Dawn.